Por: Fátima Machado

O gosto amargo do fracasso II

19 Janeiro 2018 09:48:00

Depressão: Vista de outro Ângulo

Gostaria de salientar que no meio dos mendigos desfavorecidos financeiramente, se procurar com atenção encontraremos PHDs, pessoas socialmente e financeiramente bem favorecidas, privilegiados de uma existência promissora, culturalmente, profissionalmente, mestres, verdadeiros ilustres de uma sociedade impecável.

Mas que erraram em algo essencial de sua vida, verdadeiros sábios em conhecimentos, mas que não souberam trabalhar o cérebro de forma correta, absorveram muito conhecimento e quase nada de emoção. Isso mesmo, não souberam junto com o cérebro suas emoções fazendo uma confusão mental de tal forma que o medo do fracasso, tomou conta, e não conseguindo a administrar seus sentimentos, resolveram fugir de tantas cobranças fúteis, aliadas com compromissos sérios, misturando-se com os momentos marcantes que todos nós passamos (perdas de pessoas queridas, fins de relacionamentos, perdas de emprego, reprovações em escola, faculdade, cursos de especialização, abandono, desprezo...entre tantos outros acontecimentos inevitáveis da vida) .

Isso ocorre porque uma grande maioria das pessoas que vem de um meio social elevado ou que buscam por ele precisam agir e ser quem não são. Para "ter" ou "ser", o ser humano abre mão da sua essência, passa a fazer e gostar (ou ao mens finge) para estar inserido no meio que almeja. E aí que começa o fracasso emocional, se ensino todos os dias o meu cérebro a ser infeliz, com toda certeza que numa determinada altura da vida ele não vai suportar.

O cérebro não vai conseguir fazer pensar em coisas boas, dar a sensação de paz que é necessário porque a falsa impressão de controle mental para manter o cérebro no controle da situação vai com o tempo destruindo a emoções importantes para a harmonia emocional do ser humano.

E quando se dá por conta da gravidade do problema muitas vezes já foi acometido por alguma doença.

Nesse momento preocupa-se e procura ajuda de um profissional, dependendo o caso até mais de um. Mas a(s) doença (s) física é reflexo de uma mente perturbada pedindo socorro ( as vezes a muito tempo), e não sendo atendido mostra-se dessa forma, deixando mais que claro que algo não está bem. Há pessoas que conseguem perceber a tempo, para reverter a situação evitando que fique mais grave, além do tratamento físico (corpo) é importante também a ajuda psicológica, para poder assim ensinar e treinar o cérebro a administrar as emoções, fracassos e decepções, buscando novamente o equilíbrio mental que vai ser toda a base psíquica para que a existência flua com muita harmonia. A pessoa vai ordenar melhor seus pensamentos, dar prioridade aquilo que realmente é importante na sua vida.

Mas para isso a pessoa precisa fazer uma lista de prioridades emocionais, precisa mudar hábitos, pensar no circulo de amizades, para classificar e manter perto pessoas que realmente sejam interessantes e de energia limpa e coração cheio de amor, evitar ao máximo a companhia de pessoas negativas, que reclamam sempre, pessimistas e algumas até masoquistas, pode não parecer, mais a energia delas faz uma grande diferença negativa para alguém que atravessa um problema psicológico grave (até mesmo leve),quem está com depressão, fica sensível, perdido, confuso e não sabendo como lidar com essas emoções passa a confiar em qualquer pessoa a sua volta (como se fosse uma tábua de salvação no meio do oceano), e é aí que o barco da existência afunda...

Continua na próxima coluna.









Endereço: Rua Nereu Ramos, 109 - Sala 01 - Centro - Passo de Torres - SC - Brasil
Atendimento: De segunda a sexta-feira | Das 8 às 18 horas
Facebook: Jornal Nortesul | Redação 48 3548-0108 contato@jornalnortesul.com WhatsApp:  9.9965-2523
Comercial | Classificados | Assinaturas 48 99660-1500 financeiro@jornalnortesul.com