SC conta agora com um Conselho Estratégico para a Infraestrutura

23 Outubro 2018 15:04:00

Foto: FILIPE SCOTTI

A Federação das Indústrias lançou o Conselho Estratégico para Infraestrutura de Transporte e a Logística Catarinense durante encontro em Florianópolis. A iniciativa reúne entidades do setor produtivo e da sociedade civil com o objetivo de contribuir para as diretrizes de uma política estadual de transporte e logística e acompanhar a sua implementação. Mais de 20 instituições já aderiram ao Conselho, que escolheu a governança de obras como tema central e, posteriormente, avançará para assuntos como regulamentação, planejamento, investimentos e humanização das rodovias. O sistema Monitora Fiesc mostra que das 53 obras de infraestrutura acompanhadas pela entidade no estado, 90% estão com o prazo expirado ou com o andamento comprometido. Elas totalizam R$ 7,47 bilhões, das quais oito são do modal aeroviário (R$ 1,2 bilhão), quatro do aquaviário (R$ 331 milhões), sete do ferroviário (R$ 139 milhões) e 34 do modal rodoviário (R$ 5,8 bilhões). O presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, disse que o objetivo é ouvir a sociedade organizada no sentido de discutir o que é importante para o estado. "Vamos debater toda a infraestrutura catarinense em um grande grupo para que tenha peso na hora de levarmos ao governo as sugestões em documentos elaborados e discutidos com a sociedade, contemplando demandas e propostas de solução e a ordem de priorização", explicou.

FAZER MUITO COM POUCO

Aguiar observou ainda que o custo logístico das empresas catarinenses (R$ 0,14 por real faturado) está acima da média nacional (R$ 0,11), conforme estudo realizado pela Universidade Federal de Santa Catarina, e também acima do observado em outros países, como Estados Unidos (R$ 0,085). Em alguns segmentos, como o da agroindústria, o baixo nível de investimentos na área pode ameaçar o futuro do setor, que tem dificuldades principalmente para trazer insumos do Centro-Oeste do país em condições competitivas. "Temos apenas uma rodovia federal duplicada, que ainda precisa ser concluída", exemplificou Aguiar, referindo-se ao túnel do Morro dos Cavalos, que não foi realizado dentro do projeto de duplicação da BR-101. O secretário de Infraestrutura, Paulo França, lembrou que a infraestrutura é o elo principal que gera desenvolvimento econômico e social. "Os investimentos que precisam ocorrer para permitir o desenvolvimento são muito maiores do que as condições que o estado e o próprio país têm. Então temos que nos organizar para utilizar bem os recursos que temos dentro das modalidades seja de financiamento, de concessão, com recursos próprios ou parcerias, construindo um modelo que atenda esse desenvolvimento".









COLUNAS

Endereço: Rua Nereu Ramos, 109 - Sala 01 - Centro - Passo de Torres - SC - Brasil
Atendimento: De segunda a sexta-feira | Das 8 às 18 horas
Facebook: Jornal Nortesul | Redação 48 3548-0108 contato@jornalnortesul.com WhatsApp:  9.9965-2523
Comercial | Classificados | Assinaturas 48 99660-1500 financeiro@jornalnortesul.com