Brasil, potência mundial do turismo

19 Dezembro 2018 14:25:00

Neste último artigo desta série que se reporta ao futuro lançamento do meu livro Brasil, potência mundial do turismo, com prefácio do fundador e CEO do grupo Amana-Key, apresentação do sociólogo italiano Domenico De Masi e participação de 20 líderes que são formuladores de um novo momento para o turismo e para a própria economia nacional, vou apontar caminhos não apenas para o setor mas também para nossa economia. Com a liberalização econômica que todos esperam - concessões, privatizações, parcerias público-privadas, desestatização e, especialmente, a aprovação de reformas de base como a tributária e a da previdência - será possível revalidar a meta de reverter o déficit na conta de viagens internacionais nos próximos anos.

Ainda é possível acreditar que, em 2022, como previsto no plano estratégico elaborado em 2013 e corroborado pela nova edição em 2018, o número de visitantes estrangeiros no Brasil chegue a 12 milhões, que deixariam aqui uma receita (direta) de 19 bilhões de dólares. Cumprida essa previsão, o turismo, que já se encontra entre os 10 principais itens brasileiros de exportação, subiria ainda mais no ranking da balança comercial de bens e serviços.

O salto no setor exigirá políticas públicas e ações com impacto positivo em vários elos da cadeia produtiva do setor. Para isso, o turismo tem que ser tratado como política de Estado. Faz-se necessário vencer barreiras que dificultam a abertura do país ao turista estrangeiro e promover uma radical mudança no ambiente de negócios, para atrair parcerias privadas. Reduzir a burocracia, flexibilizar a exigência de vistos de entrada e aumentar investimentos nacionais e internacionais - governamentais e privados - em cidades, orlas, marinas, portos, parques naturais, parques temáticos, resorts e cidades históricas. 

O Brasil precisa acompanhar a passada do planeta. A visão prospectiva da Organização Mundial do Turismo e os estudos do Ministério do Turismo dão conta de que 1,4 bilhão de turistas internacionais estarão em movimento pelo mundo em 2020, projeção que se eleva para 1,8 bilhão em 2030. As propostas que aqui apresento se dão num momento em que o setor de turismo e viagens está num momento de inflexão no Brasil. Tanto podemos marchar para um novo ciclo de expansão, em caráter duradouro e profundo, como também corremos o risco de escolher o caminho inverso, nos mantendo em encapsulados em dificuldades intransponíveis e dogmas doutrinários ultrapassados. 

Esta é a encruzilhada que se apresenta ao país nesta viagem para o futuro. Se tomarmos o caminho errado, nunca seremos o Brasil, potência mundial do turismo.







COLUNAS

Endereço: Rua Nereu Ramos, 109 - Sala 01 - Centro - Passo de Torres - SC - Brasil
Atendimento: De segunda a sexta-feira | Das 8 às 18 horas
Facebook: Jornal Nortesul | Redação 48 3548-0108 contato@jornalnortesul.com WhatsApp:  9.9965-2523
Comercial | Classificados | Assinaturas 48 99660-1500 financeiro@jornalnortesul.com