Campanha

Governo lança campanha incentivando operações de compras dentro do Estado

02 Junho 2018 09:49:00

'Compre de Santa Catarina' é uma ação conjunta entre todos os segmentos. Objetivo é estimular o consumo de produtos catarinenses

Foto: Jeferson Baldo / Secom SC

O governo estadual apresentou nesta sexta-feira (1) a campanha que será lançada efetivamente a partir do dia 8 de junho, para minimizar os impactos da paralisação de 11 dias no setor de transportes. "Compre de Santa Catarina" será uma ação conjunta entre todos os segmentos produtivos e visa estimular o consumo de produtos catarinenses, como forma de restabelecer a economia, manter e gerar empregos.

Durante o encontro que ocorreu no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd), em Florianópolis, o governador Eduardo Pinho Moreira, ressaltou que Santa Catarina demonstra ter uma capacidade surpreendente de reação. "A campanha é para que os catarinenses saibam que os nossos produtos são reconhecidos mundialmente e que passamos pela crise. Agora é hora de valorizar o trabalho", disse.


Consequências

Com a paralisação das atividades dos caminhoneiros, Santa Catarina deixou de arrecadar aproximadamente R$ 130 milhões. Com isso, diz o governador, ajustes serão necessários, inevitavelmente. Já o presidente da Federação das Indústrias, Glauco Côrte, alertou para a possibilidade de aumento na taxa de desemprego.

O tema redução de ICMS novamente entrou em pauta e o governo não descarta uma possível redução nas alíquotas do imposto. Porém, diz Pinho Moreira, cada caso será tratado individualmente, afim de evitar conflitos entre setores, como os ocorridos recentemente.


Trabalho Integrado

Eduardo Pinho Moreira apresentou também o trabalho realizado pelas secretarias, juntamente com as Forças Armadas, e que integraram o comitê de crise instalado desde a terça-feira, dia 22. A estrutura disponibilizada foi considerada uma referência no país. "Agendas foram suspensas para dedicação exclusiva, para manter tudo em funcionamento e equilíbrio, sabendo o momento certo de agir", disse.

Valor do milho

Durante a reunião foi apontado o aumento excessivo no preço do milho fornecido pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A saca do produto estava custando nesta sexta-feira (1) em média R$ 41,40. Antes da paralisação dos caminhoneiros o valor médio era de R$ 31.

No mesmo instante o governo estadual negociou com o Ministério da Agricultura e, ao fim da reunião, anunciou que a Conab iria reduzir o preço para R$ 37,80, fixando a medida pelos próximos 15 dias. "O valor ficou abaixo do preço médio de mercado praticado no Estado e isso dá um apoio aos produtores e agroindústrias que estão se recuperando da paralisação dos caminhoneiros", disse o secretário de Agricultura, Airton Spies.








Endereço: Rua Nereu Ramos, 109 - Sala 01 - Centro - Passo de Torres - SC - Brasil
Atendimento: De segunda a sexta-feira | Das 8 às 18 horas
Facebook: Jornal Nortesul | Redação 48 3548-0108 contato@jornalnortesul.com WhatsApp:  9.9965-2523
Comercial | Classificados | Assinaturas 48 99660-1500 financeiro@jornalnortesul.com