Idoso

Inflação para idosos fecha 2018 em 4,75%, informa FGV

A taxa é superior ao Índice de Preços ao Consumidor Brasil (IPC-BR)

Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que mede a variação da cesta de consumo de famílias compostas em sua maior parte por indivíduos com mais de 60 anos de idade, apresentou variação de 0,80% no quarto trimestre de 2018, totalizando no ano aumento de 4,75%. O resultado, divulgado hoje (14) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV), superou a inflação acumulada em 2018 pelo Índice de Preços ao Consumidor Brasil (IPC-BR) de 4,32%.

O coordenador do IPC do Ibre, André Braz, disse à Agência Brasil que os maiores aumentos no ano passado para a terceira idade foram registrados nas áreas de saúde e cuidados pessoais (6,63%) e alimentação (5,88%). Dentro da despesa saúde e cuidados pessoais, as maiores influências de alta foram observadas em planos de saúde (10,07%), médicos e dentistas (9,74%) e medicamentos (3,92%).

No grupo alimentação, André Braz informou que os alimentos in natura, que no quarto trimestre de 2017 subiram apenas 0,29%, no ano passado apresentaram elevação de 35,9%. Destaque para hortaliças e legumes (35,85%) e frutas (10,53%). Em relação a frutas, o coordenador do IPC do Ibre informou que em 2017 houve queda de 17,02%. "A parte in natura pressionou bastante. A gente sabe que na terceira idade [alimentos] in natura são importantes".








Endereço: Rua Macário Elias Delfino, 1169 - Barra Velha -  Passo de Torres - SC - Brasil
Fone redação: 48 3548-0108 - E-mail: contato@jornalnortesul.com 

Nosso WhatsApp:  48 3548-0108  -  Anúncios: contato@jornalnortesul.com