Mercado de Trabalho

Santa Catarina perdeu 22,7 mil empregos em maio

RCN

Santa Catarina registrou um saldo negativo de 22.705 empregos com carteira assinada em maio, segundo dados do Ministério da Economia divulgados nesta segunda-feira (29). O resultado corresponde à diferença de 46.223 admissões contra 68.928 demissões. 

O Estado ficou com a sexta pior colocação no país em resultados absolutos, atrás de São Paulo (saldo negativo de 103,9 mil), Rio de Janeiro (-35,9 mil), Minas Gerais (-33,6 mil), Rio Grande do Sul (-32,1 mil), e Paraná (-23,8 mil). No mês, o Brasil registrou a perda de 331,9 mil postos de trabalho. 

No quesito variação relativa, que mede percentualmente a queda de empregos, Santa Catarina também foi o sexto estado na lista, atrás do Rio Grande do Sul (-1,3%), Sergipe (-1,2%), Amazonas (-1,2%), Piauí (-1,15%), e Rio de Janeiro (-1,15%). O Estado perdeu 1,11% dos empregos. 

Um fator que pesa negativamente na contagem para os catarinenses é o grau de formalidade. Como Santa Catarina é o Estado com maior participação de trabalhadores com carteira assinada do país, os efeitos econômicos são mais destrutíveis ao mercado formal. 

Entre os setores, a principal queda ocorreu na indústria, com saldo negativo de 9,7 mil postos de trabalho. Em seguida, estão os serviços (-6,9 mil), comércio (-4,5 mil), construção (-1,2 mil), e agricultura (-290). 

Já entre os municípios, a principal queda ocorreu em Florianópolis, com fechamento de 2,5 mil vagas. Na sequência estão Joinville (-1,7 mil), Blumenau (-1,5 mil), Balneário Camboriú (-1 mil) e São José (-1 mil). Outras grandes cidades também registraram perdas, como Criciúma (-963), Itajaí (-819), Jaraguá do Sul (-774) e Brusque (-749). 

Com o resultado, o acumulado do ano (com ajuste) em Santa Catarina ficou negativo em -54,9 mil empregos. No país, foram fechados 1,1 milhão de vagas. 




Rede Nortesul de Comunicações Ltda. - CNPJ 09.284.014/0001-59
Contato (48) 3548-0108 (Whatsapp) - E-mail: contato@jornalnortesul.com