MPSC

Tribunal do Júri de Chapecó condena cartomante por extorsão e o marido dela por tentativa de homicídio

A tentativa de homicídio ocorreu em 3 de junho de 2019

Assessoria de Imprensa do TJSC

Conforme denúncia do MPSC, Fabiano Aristides, marido da cartomante conhecida como Mãe Andrea, foi o responsável pela contratação do homem que tentou matar a vítima, Maria Aparecida Moraes. Crime ocorreu em junho de 2019 no centro de Chapecó. A cartomante extorquiu a cliente que encomendou o assassinato, pois queria o dinheiro para fugir da cidade após o crime fracassar.

Após dois dias de sessão, o Tribunal do Júri de Chapecó condenou Fabiano Aristides a 12 anos de prisão, em regime fechado, por tentativa de homicídio duplamente qualificado, por motivo de paga e promessa de recompensa e por recurso que dificultou a defesa da vítima. Ele é marido da cartomante conhecida como Mãe Andrea, que foi condenada por extorsão.

De acordo com a denúncia do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), o condenado foi até o Paraguai e contratou Derlis Ramon Gimenez Lesmo (já condenado em outra sessão do Tribunal do Júri, no ano passado) para matar Maria Aparecida Moraes. A tentativa de homicídio ocorreu em 3 de junho de 2019, no centro de Chapecó, quando Lesmo fez três disparos de arma de fogo que atingiram a cabeça da vítima, que sobreviveu ao atentado.

Conforme o MPSC, a história teve início quando uma mulher, inconformada com o fim do seu casamento, buscou os serviços de Andrea Estefanoi, conhecida na região como ¿Mãe Andrea¿, para uma reconciliação com o marido. Como o feitiço ¿ que custou R$ 340 mil ¿ não deu certo, a solução encontrada foi matar a então companheira do ex-marido da mulher que havia contratado a cartomante.

Apesar do Júri ter absolvido a Mãe Andrea do crime de tentativa de homicídio por falta de provas, ela foi condenada a quatro anos de prisão, em regime aberto, pela prática de extorsão. Ela constrangeu a sua cliente - também denunciada como mandante do crime, mas que ainda será julgada - ameaçando matá-la e o seu neto também se não recebesse o valor de R$ 800 mil, com o objetivo de fugir da cidade, já que o plano de matar Maria Aparecida Moraes tinha fracassado.

Da sentença ainda cabe recurso, mas Aristides não poderá recorrer em liberdade.







Rede Nortesul de Comunicações Ltda. - CNPJ 09.284.014/0001-59
Contato (48) 9.9969-9392 (Whatsapp) - E-mail: contato@jornalnortesul.com